terça-feira, dezembro 27, 2011

Promoção - Louca Por Você - 2012

Quer ganhar um exemplar do livro Louca Por Você?! E fácil, fácil!!!


SINOPSE:




O que acontece quando um reencontro desperta um sentimento que você acreditava já ter esquecido?

Renata achava que precisava apenas de um pouco de agito no namoro com Rodrigo. A rotina dos três anos de relacionamento havia acabado com todo tipo de frio na barriga e até mesmo com a paixão. Mas como agitar uma pessoa que parece não querer sair do lugar?

Desesperada por mais emoções nos seus vinte e poucos anos, Renata decide mexer com o passado. De repente, o simples envio de um convite de aniversário para o antigo namorado faz o mundo virar de cabeça para baixo. Renata encontra no ex a adrenalina que tanto sentia falta.

O problema? Ele também era comprometido. Entre e-mails, amigas, brigas, confusões, encontros, desencontros, ciúmes e tentações, Renata tenta amadurecer e espera tomar a decisão certa.


E aí, gostou?!

Então, participe da promoção!

Regras do sorteio:

1 - Para participar precisa morar no Brasil

2 - Precisa dar RT na frase: Quero começar o ano lendo o - Louca Por Você - da @nandabelem! Siga a autora, dê RT e participe do sorteio também - http://kingo.to/WxL

3 - Precisa seguir o twitter: @nandabelem


4 - Após o resultado do sorteio, o vencedor tem até 48h para responder a DM. Caso não responda, um novo sorteio será realizado.

A promoção começa nesta terça-feira: 27/12 e termina no dia 10/01.


Viu como é fácil? Corra e participe!


Ficou interessado no livro? Não deixe de adicionar na sua estante do Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/186949-louca-por-voce


Siga a página do Louca Por Você no Facebook - https://www.facebook.com/LivroLoucaPorVoce

sexta-feira, dezembro 23, 2011

Meia Noite em Paris

Assisti ao filme no cinema e desde então venho rascunhando e rascunhando ideias para escrever sobre o que achei desta obra prima de Woody Allen. Começava e apagava tudo. Têm dias que as palavras resolvem brincar assim com o autor, elas parecem não fazer sentindo quando se juntam, parecem chatas e sem graça. Por isso, passo por diversos momentos de total falta de inspiração.

Mas hoje foi diferente. Depois de acordar às cinco horas da manhã, a inspiração parece ter voltado para mim. E, além de preparar mais capítulos para a continuação do Louca Por Você, ainda sobraram palavras para vir atualizar o blog. 

Para ser sincera, essa inspiração não veio do nada nem sozinha. Resolvi ler algumas linhas da Martha Medeiros e ali, na crônica - O Violinista no Metrô - me lembrei de Meia Noite em Paris. Finalmente, poderei dizer o que achei do filme.

Maravilhoso!! Saí do cinema como se estivesse flutuando. A história, as músicas, o cenário... Tudo é encantador demais! Logo que o protagonista tem a sua primeira volta ao passado, fiquei com cara de bobona, imaginando como seria incrível se aquilo pudesse mesmo ser verdade. Imagina, conversar com Picasso, Dali, ter o seu livro lido por nada mais, nada menos que Ernest Hemingway, poder se deliciar com as composições de Cole Porter sendo apresentadas pelo próprio. O que poderia ser melhor?!

Voltei para casa e fiquei pensando no filme durante dias. A trilha sonora - muito bem escolhida - me fazia dançar, enquanto tocava somente na minha cabeça. Um filme doce, cheio de poesia e de uma criatividade de fazer suspirar os amantes dos gênios do passado.

O que me surpreendeu foi a quantidade de pessoas - algumas até mesmo formadoras de opinião - enchendo a boca para dizer que o filme era chato e "cult". Aquilo ecoava na minha cabeça como inacreditável. Li pessoas dizendo que não conheciam metade daqueles que o protagonista visitou - "fala sério... Só sabia quem era Dali e Picasso". Dizer isso em voz alta é motivo de orgulho?!

Acho que fiquei perdida em algum lugar no espaço e não acompanhei o momento em que - ser ignorante - passou a ser legal e a palavra da moda. Não conhecer tudo e todos, é mais do que natural. Mas se vangloriar por isso e dizer que "cult" é o mesmo que "chato" é muito estranho! Só eu que penso assim?! Nasci na geração errada? Estou sendo nerd ou "cult" demais?!
Depois de pensar, refletir e rascunhar ideias e mais ideias, resolvi deixar tudo pra lá. E todas aquelas palavras que não faziam sentido juntas, ficaram para trás. Mas hoje, depois de acordar às cinco da manhã, depois de decidir preencher o início do meu dia com um pouco da poesia da Martha Medeiros, li um pensamento da autora que me deu vontade de trazer todo aquele rascunho perdido para o blog. E foi o seguinte pensamento que me fez escrever tudo isso hoje:

"Podemos viver muito bem sem cultura, mas a vida perde em encantamento". 

E é isso. Vai ver que é por isso que fiquei com aquele sorriso bobo no cinema, porque a cultura traz um mundo muito mais colorido para mim. Ler, conhecer, não é vergonha para ninguém... Muito pelo contrário, é um pouquinho de açúcar que você coloca todo dia nessa vida que por muitas vezes insiste em ser amarga!

Bom dia para todos vocês!! E Feliz Natal!!!!

terça-feira, dezembro 20, 2011

Livros que li em 2011 e as estrelinhas para eles - de 1 a 5 estrelas!

1- O Pequeno Príncipe - Antoine de Saint-Exupéry (reli) - + + + + + 
2- Anna e o Beijo Francês  - + + + + + 
3- A Cidade do Sol - Hosseini, Khaled - + + + + +
4- Uma Questão de Confiança - Robin Pilcher (ohmmmm... amooo) - + + + + +
5- Fazendo Meu Filme 2 - Paula Pimenta - + + + + +
6- Fazendo Meu Filme 3 - Paula Pimenta - + + + + +
7- Ame o que é seu - Emily Giffin - + + + +
8- Para Minhas Filhas - Barbara Delinsky - + + + +
9 - Uma Proposta Irrecusável - Jill Mansell - + + +
10- O Carrossel - Rosamunde Pilcher (reli) - + + + +
11- O Milagre - Nicholas Sparks - + + + +
12- Bilionários Por Acaso - Ben Mezrich - + + + +
13- Vips - Histórias reais de um mentiroso - Mariana Caltabiano - + + +
14- A Bola não entra Por Acaso - Ferran Soriano - + + + + +
15- Poppy King - Lições de uma Rainha do Batom - Poppy King - + + + +
16- Morte e Vida de Charlie St. Cloude - Ben Sherwood - + + +
17- Os Piores Textos de Washington Olivetto - Washington Olivetto - + + +
18- Quinta Avenida Nº1 - Candace Bushnell - + + +
19- O diário de Anne Frank - + + + +
20- A Menina que não sabia ler - John Harding - + +
21- As Mentiras que os Homens Contam - LUIS FERNANDO VERÍSSIMO - + + +
22- Comer, Rezar, Amar - Liz Gilbert - + + +
23- Familia - Barbara Delinsky - + +
24 - O livro Negro do Estilo - Nina Garcia- + + +
25- Quem mexeu no meu queijo - Dr. Spencer Johnson - +
26- Comprometida - Liz Gilbert - +
27- Ataques de Pânico - +
28 - Um Dia - David Nicholls - + + +
29 - Questões do Coração - Emily Giffin - + + + +
30 - Harry Potter e a Pedra Filosofal - + + +
31 - Minha Vida Fora de Série - Paula Pimenta - + + + + +
32 - Harry Potter e a Câmara Secreta - + + +
33 - Romeu e Julieta - + + + +
34 - Louca Por Você (o meu!!!! - heheheheh) - + + + + + (hehehehe)
35 - O Retorno do Jovem Príncipe - + + + +
36 - Confissões de Laura Lucy - + + + +
37 - Quase Tudo - Danuza Leão - + + + + +
38 - Qual seu Número - + + + + +
39 - Sou o Mensageiro - + + +
40 - Como quase namorei Robbert Pattinson - Carol Sabar - + + + + +
41- Um Homem de Sorte - + + + + +
42 - O Segredo de Emma Corrigan - + + + + +
43 - A Arte da Guerra - + + + +
44 - Só o Amor É Real (reli) - + + + +
45 - Mulheres Inteligentes Jogam para Ganhar (reli) - + + + + +
46 - Eclipse (em Italiano) - + + + +
47 - A Vida é Bela - + + +
48 - Futebol: Uma Paixão Nacional - + + +
49 - O Livreiro de Cabul (abandonei) - +
50 - Pequena Abelha (abandonei) - +
51 - Ler, Viver e Amar (lendo)

segunda-feira, dezembro 05, 2011

Resultado do Sorteio

Muito obrigada a todos os que participaram do sorteio do livro - Louca Por Você!!! A vencedora do sorteio foi:

@Virginiadeob

Página do link do sorteio:

http://beta.sorteie.me/r/edR

Muito obrigada a todos!! Em breve, mais sorteios para vocês!

segunda-feira, novembro 28, 2011

Promoção - Louca por você

Opa, opa, opa!! Uma promoção quentinha para vocês! Quem quer ganhar o livro Louca Por Você?!

Para participar é fácil!!! Antes das regrinhas, conheça mais um pouco do livro!


SINOPSE:


O que acontece quando um reencontro desperta um sentimento que você acreditava já ter esquecido?

Renata achava que precisava apenas de um pouco de agito no namoro com Rodrigo. A rotina dos três anos de relacionamento havia acabado com todo tipo de frio na barriga e até mesmo com a paixão. Mas como agitar uma pessoa que parece não querer sair do lugar?

Desesperada por mais emoções nos seus vinte e poucos anos, Renata decide mexer com o passado. De repente, o simples envio de um convite de aniversário para o antigo namorado faz o mundo virar de cabeça para baixo. Renata encontra no ex a adrenalina que tanto sentia falta.

O problema? Ele também era comprometido. Entre e-mails, amigas, brigas, confusões, encontros, desencontros, ciúmes e tentações, Renata tenta amadurecer e espera tomar a decisão certa.

E aí, gostou?!

Então, participe da promoção!

Regras do sorteio:

1 - Para participar precisa morar no Brasil

2 - Precisa dar RT na frase: Quero MUITO ganhar o sorteio do livro - Louca Por Você, da @nandabelem - http://kingo.to/Uit

3 - Precisa seguir no twitter: @nandabelem


4 - Após o resultado do sorteio, o vencedor tem até 48h para responder a DM. Caso não responda, um novo sorteio será realizado.

A promoção começa nesta segunda-feira: 28/11 e termina no dia 05/12.


Viu como é fácil? Corra e participe!


Ficou interessado no livro? Não deixe de adicionar na sua estante do Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/186949-louca-por-voce


Siga a página do Louca Por Você no Facebook - www.facebook.com/livroloucaporvoce 

quinta-feira, novembro 10, 2011

Quem não gosta de um romance?

Sinopse: Delilah Darling tem quase 30 anos e já se relacionou com 19 rapazes. Sua vida sentimental não tem sido exatamente brilhante, pois todo cara que conhece parece fugir do relacionamento. Quando lê uma matéria no jornal em que a média de homens para uma mulher de 30 anos é de 10,5, fica desesperada e assustada por estar muito acima dela. Além de tudo, o artigo no jornal terminava falando que, se a mulher tivesse o número acima dessa média, seria impossível a pessoa certa. Na tentativa de não aumentar seu número e perder de vez a chance de se casar, Delilah sai à procura de seus antigos namorados e tenta reconquistá-los. Será que um deles estará disposto a esquecer o passado e começar uma linda história de amor? Qual Seu Número? revela os segredos de cada mulher e prova que, quando se trata de assuntos do coração, números são apenas uma fração de tempo.


E o meu 38º livro de 2011 foi o - Qual Seu Número? 

Amei!!! Estava com vontade de ler esse livro desde quando assisti ao trailer no youtube (sim! esse livro já virou filme). Precisei de menos de uma semana para ler as 414 páginas desse Chick-Lit delicioso!!! A autora conta a história de Delilah (durante todo o livro a música "Hey there Delilah..." não saía da minha cabeça!), uma mulher de quase 30 anos que fica complexada com a lista de caras que já saiu (dormiu). 

Comecei a ler a história de Delilah enquanto esperava a minha vez de ser atendida em uma loja. Não deu certo. Logo nas primeiras páginas, dei uma gargalhada sozinha e resolvi fechar o livro para ler em casa, sem ninguém olhando para mim com a cara feia, por causa das minhas risadas. 

É divertidíssima a história! Delilah conseguiu se envolver com os garotos mais estranhos do mundo! Ela me lembrou um pouco a Bridget Jones, com todos aqueles conflitos amorosos e com o seu jeito atrapalhado de ser. Acho que é impossível alguém não gostar desse livro (claro! todos aqueles que gostam desse estilo de leitura!). Quem ainda não leu, recomendo! Leitura leve e gostosa para passar o tempo.

E para quem já leu... o Colin é ou não é uma gracinha?! 

*Próximo livro: Eu sou o mensageiro.

quarta-feira, agosto 24, 2011

Livro - Um Dia

Sinopse: Dexter Mayhew e Emma Morley se conheceram em 1988. Ambos sabem que no dia seguinte, após a formatura na universidade, deverão trilhar caminhos diferentes. Mas, depois de apenas um dia juntos, não conseguem parar de pensar um no outro. Os anos se passam e Dex e Em levam vidas isoladas — vidas muito diferentes daquelas que eles sonhavam ter. Porém, incapazes de esquecer o sentimento muito especial que os arrebatou naquela primeira noite, surge uma extraordinária relação entre os dois. Ao longo dos vinte anos seguintes, flashes do relacionamento deles são narrados, um por ano, todos no mesmo dia: 15 de julho. Dexter e Emma enfrentam disputas e brigas, esperanças e oportunidades perdidas, risos e lágrimas. E, conforme o verdadeiro significado desse dia crucial é desvendado, eles precisam acertar contas com a essência do amor e da própria vida.

Minha Opinião: Quando olhei esse livro pela primeira vez, o que mais me chamou a atenção foi a data - 15 de julho de 88. Podemos dizer que eu tenho uma relação especial com esse dia e esse mês, o que muda é apenas o ano... A minha data especial acontece exatamente 10 anos depois. Foram três vezes que segurei esse livro, e acabei levando outro para casa. Mas na quarta, não resisti. E o que posso dizer dele?

Não conhecia o autor, mas confesso que gostei bastante da maneira que ele conta a história. E o amor entre Em e Dex? Ai gente... Eles com certeza são personagens que vão deixar saudades! Tiveram momentos no livro que senti vontade de fechar correndo, de tanta raiva que eu sentia do protagonista. Pensei até mesmo em desistir de ler, de tão desapontada que fiquei, mais ou menos na metade.

Esse é mais um livro que me surpreendeu no final - Assim como Ame o Que é Seu. Cheguei a falar em voz alta nos capítulos finais "Não acreditooooo!!!". Ainda estou sem acreditar no fim. Mas como não quero estragar a surpresa de quem vai ler, não vou falar sobre o que acontece.

O que mais me marcou nesse livro foi a história de amor. Não é um simples romance - aiiii... que livro bonitinho! - A história vai além disso. É triste, engraçado, comovente... Me pareceu uma história de amor verdadeira, sem clichês, sem aquele romance de príncipes encantados.

Gostei e recomendo.



quinta-feira, agosto 18, 2011

Livros 2011 - Top 27

Bom galerinha, resolvi fazer uma parcial de todos os livros que eu li (ou reli!) em 2011. Vou colocar em uma lista de acordo com a minha preferência. Quem tem dúvida na hora de comprar um livro, já pode usar como base para a próxima escolha!

A minha meta era ler 100 livros esse ano, mas como tive MBA, TCC... complicou um pouco! De qualquer forma, vamos lá:

TOP 27 - Livros da Fernanda 2011

1- O Pequeno Príncipe -  Antoine de Saint-Exupéry

Em primeiríssimo lugar, não poderia deixar de ser o meu favorito - Pequeno Príncipe.  Ele sempre vai ser o número 1! Todos os anos! Talvez seja um toque, mania... não sei, mas todo ano, no primeiro dia de janeiro, eu releio esse livro. Acredito que toda vez entendo uma coisa diferente, vejo determinas situações de outra forma... Amo MUITO esse livro, desde criancinha.


2- Anna e o Beijo Francês - Anna Oliphant 

Já escrevi sobre ele aqui no blog! O livro é demais!!! Depois que você começa, é impossível parar. A autora envolve a gente na leitura... Não posso nem lembrar, pois fico com vontade de ler de novo. Quem quiser ler o que escrevi sobre ele, é só clicar aqui - Anna e o Beijo Francês

3- A Cidade do Sol - Hosseini, Khaled

Foi um dos primeiros livros que li em 2011. Confesso que em primeiro lugar foi a capa que me chamou a atenção (sou apaixonada por capas!). O livro é triste demais!! Mas ao mesmo tempo é maravilhoso! Me fez lembrar muito o A Menina que Roubava Livros, que eu também amei muito!!!São livros que apesar de tristes, falam muito sobre amizade. Como pode no meio de tanta tristeza, de tanta guerra, de tanta dor, a amizade e o amor serem tão fortes? É uma leitura muito boa! Faz a gente parar para pensar e também mostra como muitas vezes reclamamos de coisas sem sentido.

4- Uma Questão de Confiança - Robin Pilcher

Esse livro poderia facilmente ir para o número 1 da lista. Eu sou muito suspeita para falar, já que AMO a família Pilcher (Rosamunde e Robin). Fiquei muito, muito, muito, muito, muito feliz, quando descobri que o Robin tinha lançado mais um livro em 2011. Não perdi tempo e corri para a livraria para comprar. Uma delícia o livro, como todos os romances dos Pilchers. Eles descrevem cenários e personagens de uma maneira impecável... Meu sonho é poder ir um dia para a Cornualha e beber um vinho em todos os cenários perfeitos descritos por eles. Acho que conheço aquele lugar como a palma da minah mão, só pelos livros. Ou ir para a Escócia e ficar sentada naquela grama verde... E queria tanto que os personagens existissem e que pudesse conhecer todos eles!

5- Fazendo Meu Filme 2 - Paula Pimenta

Foi uma grata surpresa descobrir essa autora! Tentei procurar livros legais de autoras brasileiras, romances atuais e pesquisando na internet, descobri a Paula. Fiquei curiosa para saber o motivo de os livros dela fazerem tanto sucesso. Quando comecei a ler, descobri! A história é uma graça!!!! Sabe quando você volta ao passado?! Lembra das suas dúvidas, dos seus medos, das suas escolhas... É assim! Esse é um que vai para a lista do - Quando eu tiver uma filha, ela vai ler!

6- Fazendo Meu Filme 3 - Paula Pimenta

A continuação conseguiu ser tão fofa quanto o livro 2. Eu tentei começar pelo primeiro, mas como não achei em nenhuma livraria, acabei fazendo a besteirinha de começar pelo segundo. Apesar disso, deu para entender tudo. O 3 é tão lindo quanto o 2. O problema é que deixou saudades, já que o quarto livro da série só será lançado em dezembro. Confesso também que esse me deixou com frios na barriga! Ai ai ai... História de cinema!! Já pensou se tudo isso fosse verdade?!

7- Ame o que é seu - Emily Giffin

É um livro que demora um pouco para "pegar", mas também quando pega fica bom demais! Adorei a história e fiquei boba com o final. Não era o que eu esperava, não achei previsível... gostei bastante!!!

8- Para Minhas Filhas - Barbara Delinsky

Essa é outra autora do meu coração! hahhahaha... Mas é verdade. Ela, a Rosamunde Pilcher e a Nora Roberts são as minhas queridinhas. Esse livro da Barbara é um sonho! Boa história, cenário perfeito e personagens muitooooooo legais! E o romance?! Ai ai... faz a gente sonhar!

9 - Uma Proposta Irrecusável - Jill Mansell

Muito divertido! Eu já estava com vontade de ler esse livro desde quando eu li Anna e o beijo Francês. A divulgação dele veio dentro do livro e eu coloquei no meu mural de recados para não esquecer de comprar. Ainda não conhecia essa autora... Vou começar a procurar mais livros dela. Divertido, o livro me fez rir em diversos momentos. Também me deixou com um friozinho na barriga em determinadas situações! Recomendo!!!

10- O Carrossel - Rosamunde Pilcher

Olha a minha querida aí! Como a Rosamunde não escreve mais, resolvi reler um de seus livros. Por que não está no topo da lista, já que eu amo tanto essa autora? Porque o Carrossel apesar de lindo, não é um de seus melhores romances. Ele é delicioso como os outros, mas é um dos mais fininhos. Li para poder voltar a pensar na Cornualha, nos trens, nas praias... ai ai...

11- O Milagre - Nicholas Sparks

Hum... Vamos lá! Gostei! Gosto muito dos livros do Nicholas, mas tenho uma pequena birra com ele. Não gosto muito de livros que são tristes no final. Precisa sempre matar alguém, Nicholas? O Milagre no Milagre é que ninguem morre. A história é muito fofa, mas acho que senti um pouco a falta de uma emoção maior. Não sei explicar muito bem... Tem partes fofíssimas, mas tem algumas partes mais frias, sem tanta emoção (será que foi porque faltou alguém morrer?!). Como vocês podem ver, apesar de adorar, pego um pouco no pé desse autor.

12- Bilionários Por Acaso - Ben Mezrich

Nem  preciso falar muito sobre esse livro. Aposto que quem ainda não leu, já viu o filme. Muito bom, te prende do início ao fim, mas não ficou no topo da minha lista, pois a minha paixão por romances é maior! Mas é um excelente livro, principalmente para a gente ver como as pessoas mudam conforme ganham poder. E como uma grande ideia, pode render milhões para quem investe nos sonhos.

13- Vips - Histórias reais de um mentiroso - Mariana Caltabiano

Esse livro é inacreditável. Sério. Como pode uma pessoa enganar tantas outras e conseguir se passar por todo tipo de profissional?! O cara é o maior mentiroso! Enganou Deus e o mundo! Mas confesso que fiquei rindo bastante com a história do Amauri Junior. Quando achou que o cara era um ninguém, chegou a virar a cara, mas quando disseram para ele que o "mentiroso" era o filho do dono da Gol, o apresentador foi só sorrisos! Pois é... Só queria falar por interesse? Teve o que mereceu também! hahahaha... O livro vale muito a pena! Me lembrou aquele filme - Prenda-me se for capaz.

14- A Bola não entra Por Acaso - Ferran Soriano

Gosta de futebol?! Gosta de gestão?! Esse é o livro! O autor conta a história de toda a gestão do Barcelona. O livro é muito bem escrito e muitoooooooo interessante. Para quem trabalha com esporte é ainda melhor. Faz você parar para pensar em coisas que talvez nunca tenha pensado. Também faz você pensar como os clubes no Brasil ainda precisam se profissionalizar. Com esse amadorismo, nunca chegaremos muito longe.

15- Poppy King - Lições de uma Rainha do Batom - Poppy King

Para quem gosta de gestão, mas não gosta de futebol. hehhehe... O livro dá uma aula de empreendedorismo. É excelente!  Inspirador! Vale muitoooooo a pena a leitura, principalmente para todos aqueles (e principalmente aquelas) que querem montar uma empresa e ter o seu próprio negócio. Com as próprias experiências, a autora ajuda a montar um plano de negócios, fala sobre riscos, sobre sucesso e fracasso... enfim, é um livro bem completinho (e não cansativo!) sobre o mundo dos negócios. 

16- Morte e Vida de Charlie St. Cloude -  Ben Sherwood

Hum... passou longe de ser um dos melhores romances que li nesse ano. É muito bonita a história, mas não me encantou. Gostei até certo momento, mas depois perdi a vontade de ler. Não sei bem o motivo... Mas não foi um livro que eu amei.

17- Os Piores Textos de Washington Olivetto - Washington Olivetto

Eu gostei muito! É um livro bem escrito, com textos muito legais. Fiz várias anotações nesse livro (risos). Ele fala muito sobre lugares, restaurantes, filmes, bebidas, comidas... Fiz minhas anotações para poder conhecer alguns deles.

18- Quinta Avenida Nº1 - Candace Bushnell

Adoro os filmes Sex And the City, mas os livros dela não me encantam. Acho os personagens superficiais e as histórias até mesmo um pouco chatas.

19- O diário de Anne Frank

Tenho até vergonha de não ter colocado esse livro lá no topo. Mas eu tenho um certo problema com histórias tristes, principalmente sabendo que a história é real. É um livro que todo mundo deveria ler, sem dúvida.

20- A Menina que não sabia ler - John Harding

Até hoje eu não sei o que pensar desse livro. Ainda fico chocada quando eu lembro dele. Amei o início. Não conseguia parar de ler. Lindo, lindo! A paixão de uma garotinha pelos livros, pelas palavras... Era demais! Mas depois... O livro vira suspense (eu achava que era romance fofo!). Um suspense brabo!!! Quase terror! Ainda não posso afirmar se gostei ou não.

21- As Mentiras que os Homens Contam -  LUIS FERNANDO VERÍSSIMO

Muito engraçado! Só ficou no final da minha lista, porque eu gosto muito mais de histórias completas do que de crônicas. Mas o livro é bemmmmm divertido! Dá para reconhecer diversas situações... hahahahah

22- Comer, Rezar, Amar -  Liz Gilbert

Amei o início, odiei o meio, gostei do final. É isso. Esperava muito mais desse livro, já que foi um baita sucesso de vendas! Já escrevi sobre ele... Se quiserem ler, é só clicar aqui: Comer, Rezar, Amar - Minha opinião 

23- Familia - Barbara Delinsky

Posso dizer que foi a minha grande decepção do ano. Não que o livro seja completamente ruim... A decepção é porque todos os livros da Barbara são bons, mas esse passa longe de todos os romances dela. Os personagens não são cativantes e a polêmica do livro é o racismo, só que achei que foi tratado de uma maneira bemmmmmmm errada! Não gostei, não recomendo.

24 - O livro Negro do Estilo - Nina Garcia

Esse livro ficou no finalzinho da minha lista não por ser ruim, mas apenas porque eu não gosto tanto assim de moda. É um livro bem legal, completinho, cheio de dicas bem bacanas. Li na semana do fashion rio só para entrar no clima. Para quem gosta muito de ler sobre moda, é bem legal.

25- Quem mexeu no meu queijo -  Dr. Spencer Johnson

Hum... E se eu disser que achei chato, vão me atirar muitas pedras? Não gostei muito, não achei muito inspirador, esperava mais (já que ouvi por tantos anos muitas pessoas falando sobre ele!). A idéia é até legal, mas senti que faltou alguma coisa. Acho que é um livro simples, não muito inspirador, que por algum motivo virou febre e deixou o autor rico. 

26- Comprometida -  Liz Gilbert

O pior do ano! Decepção. Depois de ler Comer, Rezar, Amar - pensei: Será que esse Comprometida, que é a continuação, vai ser melhor? Não. Não é mesmo! Se você quiser estudar sobre a história do casamento, vá em frente. Mas o livro é basicamente isso. Chato, chato, chato (e olha que eu amo casamentos!).

27- Ataques de Pânico

Bom para quem estuda psicologia. Li o livro apenas para ver se entendia um pouco sobre alguns medos que tenho (avião, vergonha de falar para muita gente...). É legal e tem algumas técnicas legais, principalmente para quem tem vergonha de falar em público.

Bom... É isso! Em dezembro, coloco o final da minha lista! =)  

quinta-feira, agosto 04, 2011

Como nascem as idéias

Logo que divulguei o lançamento do meu primeiro livro, o Louca Por Você, muitas pessoas me perguntaram como surgiu a idéia da história. Pois bem, acredito que todo autor quando começa a criar, coloca nos personagens um pouquinho de cada pessoa que já cruzou pelo seu caminho. Uma característica forte de um amigo, um traço marcante de um professor do passado, uma frase muito usada por alguém da família e assim por diante.

Comigo não acontece diferente. Todas as crônicas, textos e o meu livro, possuem um pouco de mim e de todos aqueles que já estiveram ou que estão na minha vida. Histórias que escuto por aí, fragmentos de conversas, sonhos que nunca esqueci... Tudo isso ajuda na hora de escrever. Mas é claro que não é só isso. Acredito que todo autor, além de usar o baú da mente, usa também a imaginação. Lembram do Fantástico Mundo de Bob? É mais ou menos assim que acontece.

Você ouviu uma fofoca de uma amiga. Ok. O que ela presenciou, não é o mesmo que você imagina. É como a experiência que um professor fez certa vez: Feche os olhos agora e imagine um barco no meio do rio. Imaginou?! Cada um que passar por aqui e fizer essa experiência, pensará em um barco diferente. Alguns terão na cabeça uma canoa, ou um iate, ou uma lancha...

O que eu quero dizer é que para escrever, você parte de uma coisa que já conhece e transforma naquilo que imagina, sonha, deseja... O mundo da literatura não precisa ser como o mundo real. Pode ter um pouquinho de magia, ou um clima mais gostoso de romance, mais drama, mais comédia, mais ingredientes...

O gostoso de ler, é poder sentir aquele friozinho na barriga com a história. É querer mergulhar no livro e se sentir parte de tudo aquilo. É reconhecer amigos e até você mesmo nos personagens e nas situações vividas por eles. Por isso sou tão apaixonada pela literatura e não consigo entender como podem existir pessoas que não gostam de ler.

Bom, para terminar, confesso que estou ansiosa com o lançamento do meu primeiro livro. É a primeira vez que a minha imaginação será lida por pessoas e mais pessoas. Espero, do fundo do meu coração, que todos gostem do Louca Por Você e que se identifiquem com algum dos personagens.

Vou contando as próximas novidades! =) Até breve!

quinta-feira, junho 16, 2011

Anna e o Beijo Francês

Mais do que nunca eu me declaro como uma viciada em livros. É verdade. Gosto muito, muito e muito de ler. Minha paixão pelas letrinhas e pelas capas coloridas dos romances é tanta, que no dia dos namorados (na véspera dele!) declarei: Quer me dar o presente perfeito?! Escolhe um bom livro!

- Você quer ganhar livro de dia dos namorados?
- Ué... Você acabou de perguntar o que eu iria gostar de ganhar, eu estou respondendo.
- Livro?
- Gosto mais do que roupa, ou o que quer que seja.
- Tem certeza?
- Absoluta.

E lá foi meu namorado escolher meu presente perfeito! Ele achou um livro pouco e me deu três. Três! Perfeito, perfeito e perfeito!

Foram eles:

"Anna e o Beijo Francês"
"Ame o que é seu"
"Para Minhas filhas"

Anna e o Beijo Francês? Hum... Título esquisitinho! Sinopse bem clichê... Será que eu começo por ele? Será que eu vou gostar? Será que foi a mega divulgação dentro da livraria (banner, folhetos, prateleira de lançamento, prateleira de Saraiva Indica...) que fez com que o livro fosse parar na sacola de presentes?

Começo a ler e fico na dúvida se estou ou não gostando. É contado na primeira pessoa. É a Anna que conta a história. Menina americana de 16 anos (ou seria 17?!), que é mandada para um colégio interno em Paris. Fica revoltada por ter que deixar a casa, a mãe, o irmão, os amigos e um gatinho que ela estava se apaixonando. Eu disse que era clichê, não disse?

Parece ser meio boba e previsível a história, mas por que eu não consigo parar de ler? Preciso dormir, preciso acordar cedo para trabalhar. Não consigo. Fico curiosa para saber o que vai acontecer no próximo capítulo. E no próximo. Ai meu Deus! Só mais um e eu apago a luz. E assim eu passei quase três noites em claro. Três noites para acabar de ler sobre o tal beijo francês. Ufa!

Pode ser clichê, pode ser boba, mas a autora é muito boa! Quando eu digo muito boa, é muito boa mesmo! Ela me prendeu na história, me fez passear por París, me fez imaginar os personagens (Para quem já leu: juro que a Mer, apesar de saber que ela tem cabelo cacheado, na minha imaginação era a atriz que interpreta Lucy de Gilmore Girls) a escola, o dormitório... Que vontade que eu estou de passear pelo Rio Sena, de pisar na estrela no Point Zero e de conhecer a Notre-Dame!

Além da descrição dos personagens e dos lugares, a autora Stephanie Perkins me deixou encantada com a maneira que descreve situações e sentimentos. Junto com a Anna, senti frios na barriga a cada investida no maravilhoso (assim o imagino!) Etiénne St. Clair... E que dia de Ação de Graças! E que dia de aniversário! E que Natal! E que... E que... E que!!! Por isso você não consegue parar de ler, porque o momento decisivo demora (e como demora!) para acontecer. Mas vale a espera.

Se você gostar de ler apenas histórias com conteúdo, não é um livro muito indicado. Mas para quem procura entretenimento, uma leitura gostosa e algo para se inspirar, eu indico esse livro. Com ele a viagem para a Cidade da Luz é garantida, com muita emoção e romance... O que não poderia faltar naquele lugar, não é mesmo?

sábado, junho 04, 2011

O maior clássico que o Engenhão já recebeu

O futebol é um espetáculo. E assim como todo bom espetáculo, ele precisa de uma casa de show para ser palco das grandes vitórias e derrotas, dos empates suados, dos títulos conquistados. E é sempre assim. No Rio, o Maracanã, o Engenhão, São Januário e também os estádios do interior, já receberam grandes astros, goleadas históricas e torcidas apaixonadas. Mas neste domingo e segunda-feira um deles, o Engenhão, se tornou a casa de um astro só: Paul McCartney.

Assim como nas partidas de futebol, para não perder o compasso, Paul se apresentou na cidade do Rio de Janeiro em "dois tempos": Domingo e Segunda-feira. Os fãs do músico puderam se dividir nos dois dias para conferir a apresentação do "craque" do Rock que entrou em campo para fazer mais do que um golaço de placa.

E quem disse que música e futebol não tem nada a ver? O Rio de Janeiro respira o esporte e um show, realizado em um estádio, não poderia deixar o clima do futebol escapar, poderia? Claro que não! Dessa forma, enquanto esperavam o show começar, os fãs de Paul resolveram animar a "torcida" e uma ôla começou a ser ensaiada. Público diferente do que gosta de ver a bola rolar? Parecia que não, pois depois de algumas tentativas, a ôla rodou o estádio lotado, tanto nas cadeiras, quanto nas arquibancadas. Levando todos aos aplausos quando a ôla terminava. Mais um belo espetáculo da mistura do clima do futebol com a música.

Crianças, jovens, adultos e idosos. Como no futebol, o show de Paul McCartney não era apenas de um público só. Quando o ídolo entrou em campo, levou os "torcedores" ao delírio. E como todo bom craque, ele fez um belo trabalho. No lugar da bola, o baixo, o piano, o cavaquinho e o banjo. Assim ele encantou com suas músicas, fez vibrar com suas dancinhas e fez chorar com tantas emoções.

O público reagia a cada firula, a cada enfeite, a cada "jogada" do craque. Paul teve direito até a um mosaico, na sua melhor apresentação. Quando cantou "Hey Jude", viu as plaquinhas de "Na" "Na" "Na" "Na" levantadas e sorriu. Uma surpresa que emocionou o dono da noite. Assim como um grande time, Paul também viu seu nome ecoar no Engenhão - "Paul", "Paul", "Paul", "Paul"... gritavam os fãs enlouquecidos com a atuação do ídolo.

E como todo craque merece a camisa 10, foi assim que Paul McCartney se despediu do palco e dos fãs, com a camisa 10 da Seleção Brasileira. Acima do número, o nome da estrela do Engenhão, "Macca".

O jogo de um time só, de apenas um astro, a brilhante partida de Paul McCartney ficará para sempre na lembrança dos "torcedores" que estiveram presentes. No Engenhão lotado, o show de Paul McCartney foi como um clássico cheio de emoções. Não faltou paixão, mosaico, camisa 10, "torcida", ginga, ôla... Só faltou a bola, mas nessas duas noites a redonda não fez a menor falta.

No clássico do Paul, todos saíram do Engenhão vencedores. Para celebrar, uma chuva de papel picado voou pelo estádio enquanto o público ia embora. Uma noite inesquecível. Memorável. Sem dúvida alguma, o maior clássico que o Engenhão já recebeu.

quarta-feira, maio 04, 2011

Quando vamos ficando velhos...

Tenho certeza que já aconteceu com muitas outras pessoas o que vive acontecendo comigo recentemente. Sempre que me perguntam: Quantos anos você tem? - E eu respondo 28, as pessoas abrem a boca em espanto, falam que não acreditam, costumam dizer que não imaginavam que eu tivesse mais do que 20, 21. Que bom! Também acho estranho estar chegando perto dos 30, tendo ainda amigas do primário, do ensino médio, do primeiro prédio que morei e de todos os outros. Talvez essa seja a fórmula da juventude.

Me sinto como se fosse Peter Pan, vivendo na Terra do Nunca. Os mesmos amigos de infância, as mesmas brincadeiras, as risadas e fococas e as conversas... E é legal ter sempre por perto esse mundo da juventude que parece nunca ter ido embora. 

O problema é que nem tudo que parece é. Realmente quando o trabalho nos deixa dar um tempo, podemos rever os amigos e tudo voltar a ser como era antes. Mas cada vez que os 30 anos se aproximam, esse tempo vai ficando mais e mais distante. São muitas agendas para poder acertar os horários e marcar uma viagem rápida para a Terra do Nunca.

Percebemos que o tempo está passando e que estamos ficando velhos quando vemos nossos amigos indo embora para outras cidades, estados, ou até mesmo países para trabalhar. Quando abrimos mão de uma conversa com os amigos e de uma cervejinha gelada, para ir à uma reunião com clientes. Quando achamos o primeiro, segundo, terceiro (e aí não para mais) fios de cabelo branco. E para emagrecer então? Nosso metabolismo vai ficando mais lento, preguiçoso... e com isso a barriga cresce e a gente não tem mais aquela forma linda da adolescência! Percebemos também que nossa vontade de casar, de ter a nossa casa, fica maior a cada dia. E é claro, também passamos a ter vontade de ser mãe.

É nesse momento que começamos a sentir uma certa nostalgia, uma vontade de arrumar as malas e voltar para a Terra do Nunca. Aquele lugar em que todos os amigos se encontram e não precisam mais ir para longe. Dá saudades das aulas na escola, da preocupação com o boletim, do play do prédio, das festas americanas e de todos os amores platônicos. Saudades da melhor amiga que sempre dormia na sua casa, ou você na casa dela. Das descobertas, das matinês e até mesmo de Carrossel, Chaves e Chapolim.

Quando a gente sente esse tipo de saudade, é quando percebemos que estamos ficando velhos e que o tempo não para nunca. Não para enquanto você trabalha, quando dorme, nem quando fica estressado. E a nostalgia é grande, porque sabíamos viver bem melhor quando éramos mais novos... Sabe por que? Porque a gente gostava de descomplicar tudo! Nada era verdadeiramente impossível de fazer e não nos importávamos com o que os outros iriam achar se fizéssemos isso ou aquilo. A vida era bem mais fácil.

Com os 30 anos, a gente se preocupa mais. O número de chatos e pessoas aborrecidas ao nosso redor, aumentam. O estresse cresce junto. Ser adulto é complicado.

Para tentar diminuir esse tictac do relógio do tempo e não ficar paranóica com a chegada dos meus trinta anos, decidi descomplicar as coisas, como fazia quando era mais nova. Afastar as pessoas chatas e pessimistas e não ficar tão preocupada com aquilo que ainda não tem solução. Com os amigos que vão para longe, escrever cartas no lugar dos e-mails. As cartas fazem as pessoas estarem mais próximas do que uma tela fria de computador. Um vinho depois de um dia cheio de decisões e um pôr-do-sol depois de madrugar para resolver problemas do trabalho. Simplificar, acho que é isso. 

"Então venha comigo, onde nascem os sonhos, e o tempo nunca é planejado. Basta pensar em coisas alegres, e seu coração vai voar nas asas, para sempre, na Never Never Land!" Peter Pan

terça-feira, abril 26, 2011

O amor e a adrenalina

Ah essa adrenalina... Já não é de hoje que ela é assunto principal em algumas conversas e motivo de risadas, desespero, conselhos, entre outras coisas mais. Esse frio na barriga que por tantas vezes me perturbou, me deixou sem chão e sem saber como agir, vejo também cutucar o coração e o estômago de outras pessoas próximas a mim e fico pensando - que conselho dar?!

Quantas vezes ouvi alguém falando - "Esquece isso!"; "O quê? Como assim frio na barriga? Você vai é arrumar problema! Isso não existe..."; ou ainda o mais tradicional - "Isso é fogo de palha"; "Isso é paixonite"... Isso não é nada disso... Não adianta ninguém falar, só sabe o que é esse frio na boca do estômago, quem já passou pela sensação de ter mil borboletas batendo asas na barriga. Só sabe o que é isso, quem já teve ou quem encontrou a sua adrenalina. Lamento informar, mas essa é a verdade.

Mas o que seria essa adrenalina? Diferente do amor, ela não se constrói com o tempo, com o carinho, com palavras, com gestos... Ela simplesmente existe. Está sempre alí. É a química da pele, é aquele olhar que faz tremer, é o tempo que não apaga nunca aquele sentimento que não sabemos dizer qual é, é reconhecer o perfume da pessoa e no mesmo instante reviver um momento com aquele alguém. A Adrenalina é aquele alguém que vai estar sempre alí, não importa o que aconteça, não importa o lugar que você vá, nem com quem você está. Não importa se você ama ou odeia aquela pessoa. Nem o que ela fez de bom ou ruim. Se ela for a adrenalina, ela é e ponto final. Vai tentar entender? É difícil... bem difícil.

Mas o que acontece quando você encontra a sua adrenalina? Bom, tem certeza que você quer mesmo saber? A sorte é de quem encontra e permanece com ela. Posso dizer que eu encontrei, me afastei e como não sabia como viver sem tudo aquilo, foi inevitável! Não teve namorado, família, amigos... que desse jeito! Meu primeiro amor, foi a minha adrenalina e eu fui atrás dela. Passei por cima de muita coisa para sentir tudo aquilo de novo. E hoje posso dizer que tenho o amor e a adrenalina em uma pessoa só. Que bom!

Só que nem sempre é assim. Tem vezes que você até tem um amor, mas a adrenalina...

Uma amiga minha está vivendo isso e por esse motivo, o assunto voltou! Imagina receber um convite de casamento da sua adrenalina ( e esse convite não ser o seu com ele!)?! Você namora, acha que está tudo indo muito bem com a sua relação, mas de repente... um convite, umas fotos... isso muda tudo! Como agir?! E o pior... Que conselhos dar?

Pois é... Nem toda adrenalina é igual, nem toda é fácil de resolver e nem todas as adrenalinas viram amor! Pelo menos, eu acredito nisso. E também lamento por isso. Um amor sem adrenalina pode até durar para sempre, mas vai faltar o frio na barriga, as risadas por qualquer motivo, aquela pele que te faz suspirar mesmo você já conhecendo ha mais de dez anos e aquela pessoa que você olha e se sente apaixonada como se fosse a primeira vez, todos os dias! 

Mas nem sempre a adrenalina é o verdadeiro amor... ela pode ser apenas a adrenalina. Vai entender, né?! O que quero dizer com tudo isso é que ninguém precisa surtar com um convite de casamento, com uma aparição na varanda da frente, nem com uma antiga lembrança. A Adrenalina é assim, vai sempre despertar os frios na barriga, mas não é o fim quando acaba, nem o recomeço quando fala um oi. Pode ser, como pode não ser. Tudo com a adrenalina, é difícil definir!

O que é certo, é que todo mundo passa por isso. Você não deve se lamentar. O meu conselho é sempre o de correr atrás para ver o que é ou não é, mas nem todo mundo pensa assim, nem todo mundo quer isso ou mesmo tem coragem. Só não lamente se você não foi descobrir se a sua adrenalina também era a sua paixão. Se passou da hora, deixe ficar apenas na lembrança. Vai sempre doer, mas ao mesmo tempo, vai ser sempre uma boa lembrança. Frios na barriga não fazem mal a ninguém!

Eu fui atrás, deu certo, como poderia não ter dado! Pessoas sofrem, namoros acabam... tem que pensar se tudo isso vale a pena! Se está disposta (o)... vai atrás! Mas se for além do que você consegue fazer, além dos seus limites... deixa que vire uma história, ou que o destino se encarregue dele! Quem sabe? Ainda não consegui definir se adrenalina pode ser o mesmo que destino. Pode ser... Ou não! Quem vai saber?! Quem sabe se lá na frente... você por acaso não encontra a sua adrenalina em uma fila de banco, já velhinhos, já viúvos?! Ou de tantas outras maneiras? O mundo é incerto. A vida é incerta. O amor é incerto! A adrenalina é real! hahahahahahha... Pelo menos, é o que eu acho!

E viva a adrenalina e a coragem de quem vai atrás. Ou viva a adrenalina e o destino que pode agir a favor dela. Ou ainda... Viva a adrenalina e as lembranças de um beijo, de mãos dadas, do primeiro namorado... do primeiro amor!

Adrenalina e amor podem ou não caminhar lado a lado. Depende das escolhas, da coragem e da vida! Todo mundo pode viver sem adrenalina, mas não sem amor. Mas... "o coração tem razões que a própria razão desconhece." Não seria o coração bombeado pela adrenalina? É um caso a se pensar!

quinta-feira, abril 14, 2011

Alguma coisa precisa mudar...

Não podemos mais falar no celular no banco - "Por questão de segurança";

Não podemos mais passar pelas portas laterais do Campo de São Bento que ficam fechadas durante a semana - "Por questão de segurança";

Não podemos mais ir ao Parque da Cidade depois das 17h - "Por questão de segurança"...

Já imagino o dia que vão falar para não sairmos mais de casa - "Por questão de segurança!"

 É assim que se resolve o problema?

sexta-feira, março 04, 2011

Carnaval!

Enfim chegou o carnaval! Hora de arrumar a mala e colocar o pé na estrada! Adoroooo!!!!

Amigos, cerveja, churrasco, praia, peixada, meu amor...

Mais cerveja.

Mais amigos.

É carnaval, né?! =)

Bom feriado para todos!

quinta-feira, fevereiro 03, 2011

Ah... Meus 28 anos

Já completei 28 anos. Já brinquei que era a Xuxa, que meu armário era a nave e minhas amigas o público. Já peguei os perfumes da minha mãe e junto com meus amigos fui vender pela grade do prédio, gritando para as pessoas que passavam pela rua (rs). Já brinquei de ser Changeman e de ter um esconderijo secreto. Já ralei o joelho e tive medo de lavar e arder. Já descobri que coelhinho da páscoa não existia, porque minha mãe não viu que eu já tinha achado e comido a orelha do coelho de chocolate que ela tinha comprado e foi aquele mesmo que ela colocou embaixo da cama. Já tive um pintinho, daqueles que davam no final das feiras de filhotes. Já tive um peixe beta. Já tive um cachorro lindo, o Trovão. Já escrevi uma história que a Bia Bedran contou em seus shows.

Já subi no alto da cachoeira Véu da Noiva, em Itatiaia e mesmo morrendo de medo, me molhei na primeira queda dela. Já desci o Pontal do Atalaia, em Arraial do Cabo e morri de medo daquela trilha. Já fui no playcenter, parque do Gugu e Parque da Mônica em São Paulo. Já comi moqueca na Bahia, Fondue nas Serras Gaúchas, vinho na Argentina e cerveja na Região dos Lagos. Já falei com Papai Noel em Gramado, fiz noitada em Belo Horizonte e fiquei apaixonada pelo sotaque de todo mundo em Porto Alegre. Já desci as dunas de Natal (maravilhosas!), peguei onda na praia da Costa em Vila Velha e me afoguei em Búzios. Já desci no escorrega das escadas no hotel Fazenda São Moritz. E mesmo tendo pavor, já andei muito, muito de avião.

Já conheci Fidel Castro e cheguei pertinho dele. Já conversei com muitos dos meus ídolos. Já conheci a Xuxa, Zico e Dercy Gonçalves. Já fiz um gol no Engenhão! E já pisei no Gramado do Maracanã e do Mineirão. Já almocei no Gero. Já comi podrão quando saí da noitada. Já chorei porque fiquei com pena de um mendigo. Já tive amor platônico e também amor de verão. Já escrevi cartinhas anônimas. Já briguei com uma amiga. Já briguei com um amigo. Já me apaixonei por um amigo. Já repeti de ano e também falsifiquei boletim na hora de entregar para minha mãe.

Já joguei taco, banco imobiliário, jogo da vida, cara-a-cara, perfil, morcegos equilibristas, sobe e desce, uno, pique-esconde, pique-cola, pique-alto, pique-fruta e tantos outros jogos. Já brinquei de polícia e ladrão. Já vi estrela cadente. Já plantei feijão em pote de danoninho. Já fiquei horas olhando a lua e o pôr-do-sol. Já fiquei muitas vezes conversando com amigas até o dia nascer. Já tomei um porre. Já bebi cerveja alemã, belga, japonesa, argentina, americana... E já bebi a Delirium Tremens, mas não vi o tal elefante cor de rosa. Já fiz cursos de vinho. 

Já conheci o Projac e muitos bastidores e camarins de teatros. Já trabalhei no Flamengo. Já dei uma palestra na Universidade Estácio de Sá. Já montei um site de futebol escrito só por mulheres. Já escrevi um livro. Já trabalhei com muitas produções culturais. Já fiz assessoria de imprensa do Cidade Negra. Já produzi um espetáculo sozinha. Já levei uma peça do Domingos de Oliveira para Friburgo. Já acabei o inglês. Já acabei o espanhol. Já acabei o Italiano.

Já li todos os livros da Rosamunde Pilcher e já tive a grata surpresa de receber o filme de um dos livros dela na minha casa, de uma pessoa que eu não conhecia e que acabou virando uma pessoa querida. Para retribuir o gesto, já copiei o DVD e passei para outra menina que eu também não conhecia, mas que era apaixonada pela autora. Já cantei em videokê e Karaokê também. Já comprei todos os CDs do João Suplicy e ganhei dedicatória em todos. Já ganhei uma camisa do Flamengo autografada por todos os jogadores. Já subi no trio elétrico, no primeiro dia do ano e fiz uma declaração de amor (rs). Já fiz amigos bebendo cerveja, água, refrigerante, ou vinho. Já fiz amigos de amigos virarem meus amigos. Já fiz amigos virtuais, virarem amigos reais.

Já encontrei o amor da minha vida, a minha alma gêmea. Já escolhi o homem que eu quero casar e ter os meus filhos. Já escolhi o nome desses filhos. Hoje, no meu aniversário de 28 anos, tenho a certeza de que já fiz muitas e muitas coisas que nunca vou esquecer. Mas tenho a certeza também de que muitas outras experiências ainda estão por vir e que ainda tenho muitas pessoas para conhecer. Mas quero agradecer a todos os amigos que estiveram presentes comigo desde que me entendo por gente, aos amigos da faculdade por todo o carinho, aos amigos que estão distante por nunca perderem o contato, aos amigos estrangeiros por sempre mandarem um oi de qualquer lugar do mundo, a minha família por sempre acreditar e apostar em mim e nos meus projetos e ao meu amor, por me fazer a pessoa mais feliz do mundo.

Feliz aniversário para mim!

"Eu quero amor decidindo a vida"

terça-feira, fevereiro 01, 2011

Ah... Minha Buenos Aires Querida!

Hola! =)

Já que vou falar da Argentina, nada como começar com uma saudação dos hermanos! Saudação que dá saudades de escutar. Já completou um ano que voltei de um passeio em Buenos Aires e a vontade de voltar para aquele lugar é maior a cada dia. Quem conhece, provavelmente também se apaixonou. Sem a tão falada rivalidade entre brasileiros e argentinos, o que se vê pelas ruas, bares, pontos turísticos ou não, são pessoas simpáticas e sempre prontas para dar uma explicação.

Em sete dias que estive por lá, não esbarrei com nenhum cidadão que me olhasse de cara amarrada. Muito pelo contrário, quando dizia ser do Brasil, eles puxavam assunto, principalmente sobre futebol e samba. Na verdade, se eu posso dizer que não gostei de alguma coisa em Buenos Aires, digo que foi a quantidade de Brasileiros que estavam por lá. Chegava a ser chato só ouvir português na Florida. Decidi então, conhecer os pontos turísticos em um dia e nos demais, conhecer os lugares que os moradores de lá frequentam e com isso tive uma grata surpresa.

De turístico, conheci o Café Tortoni, que odiei! Realmente aquele lugar tem história, é lindo por dentro, mas só tem turistas. O atendimento não é lá essas coisas, tem fila na porta e o precinho é bem salgadinho, não vale pelo sabor. Se eu não tivesse conhecido em seguida o Las Violetas, talvez não reclamasse tanto do famoso Tortoni. Mas essa segunda confeitaria não deixa nada a desejar e você além de ser bem tratado, pode contemplar lindos vitrais e comer docinhos (de cortesia da casa!) divinos! Ah... E o melhor ouvir apenas os argentinos falando.

O Tango que conheci, também não deixa de ser de turistas, mas é M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O! A começar pela casa de espetáculos, o Sr Tango não peca em nada! Cheio de detalhes e com um show de duas horas de fazer até mesmo chorar. Música, dança com um pouco de teatro! Até cavalos entram em cena e no teto, estrelas parecem piscar. Lindo, lindo, lindo!

Quanto aos restaurantes, uma coisa é certa: Não deixem de conhecer o El Mundo! Não é "para turistas" e por isso, ele é barato e muito, muito gostoso!! Não resisti e repeti a dose, fui lá três vezes! Comida boa, vinho maravilhoso e um garçom muito educado, que só porque éramos brasileiros decidiu fazer uma caipirinha de presente... É para voltar mais e mais vezes. Ah... e é claro que resisti ao Mc Donalds e ao Burger King! Isso dá para comer qualquer dia perto de casa.

E o que dizer da noite de Buenos Aires? Ah... que maravilha! Sentar em um barzinho em Palermo Soho e beber a Quilmes até às 2h da manhã, esperando a boate abrir para dançar, é viver a noite daquela cidade. O detalhe é que não fui na mais conhecida que fica em Puerto Madero e que também é cheia de brasileiros. Fui na Brujas, uma boate grande e com músicas bem diversificadas.

Mas se eu tivesse que eleger o lugar que mais gostei de conhecer, posso dizer que foi um barzinho (mais no estilo pub), no meio de Palermo, sem estar no centro dos barzinhos de Palermo Soho e Hollywood, mas em um lugar que só mesmo quem mora ali conhece. Foi lá que eu descobri que os argentinos adoram os brasileiros, adoram samba, caipirinha e são muito, muito simpáticos! Nos receberam de braços abertos e nos deixaram com vontade de voltar sempre! Você descobrir em Buenos Aires, um barzinho meio que escondido, sem turistas e com um grupo (apenas de argentinos) tocando samba, é um achado! Eu adorei!

Ah... e se alguém pensar: Ué, mas você não disse que não queria ver brasileiros na Argentina, como vai parar em uma casa de samba? Eu respondo: Não é sempre que escutamos um:  "Deixo a vida me levar, vida leva eu" com um sotaque tão diferente, né? E é isso que eles fazem todas as quintas no Foynes Bar. É nossa música, mas é a rotina deles!

Se for para conhecer os lugares que só os brasileiros estão lá para conhecer, ou lugares que existem na nossa cidade (Burger King, Mc Donalds, e etc...) é mais fácil e mais barato passear por aqui mesmo. Para mim, viajar é conhecer as pessoas, as rotinas e a cultura do lugar... É isso o que eu mais amo! E você?

Ps: O vídeo não está com uma qualidade boa, mas é legal escutar o sotaque do grupo cantando a nossa música!